Quem sou eu

Minha foto
"Aceitar-me plenamente? É uma violentação de minha vida. Cada mudança, cada projeto novo causa espanto: meu coração está espantado. É por isso que toda minha palavra tem um coração onde circula sangue" (Um sopro de vida - Clarice Lispector)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

... Tudo com o que eu me importo, ME IMPORTA MUITO. Me suga, me leva, me atrai, se funde com tudo o que sou e me consome. Toda. Por inteiro. Sorte minha me doar tanto - e com tal intensidade - e ainda sair viva dessa vida. ´
(Fernanda Mello)


E eu sou exatamente assim. Aquelas coisas - e pessoas - com as quais escolho dividir minha vida me importam demais. Sou exagerada as vezes nos sentimentos, mas não sei gostar 'um pouquinho', nem querer 'um pouquinho'. Aquilo que escolho é sempre 'muito'! E é engraçado como muitas vezes isso assusta as pessoas. Ou elas não são capazes de acreditar na entrega que existe quando um coração passa a fazer parte do meu. Não digo que amo qualquer pessoa, digo para aquelas que realmente conquistaram esse sentimento em mim. Não são muitas. E as que escutam é porque merecem, por aquilo que são e representam. Hoje em dia existem milhares de textos falando sobre a banalização do amor, e eu concordo com muitos deles. Mas eu não economizo amor não! Por que o medo de se entregar? Por que o medo de abrir o coração para outra pessoa? Corremos sim o risco sério de sermos apunhalados, feridos, quando essa entrega não é recíproca. Mas e daí? Daqui a pouco a gente está rindo de novo, e encontrando novas pessoas para ocupar o peito e a cabeça. O que não vale é ficar economizando afeto.
Gosto muito de dizer às pessoas o quanto elas são importantes para mim. Acho que a vida é tão breve as vezes. A gente nunca sabe a hora de nada. Já perdi amigos tão jovens, tão cheios de vida, e com alguns eu gostaria de ter tido mais alguns minutos para poder dizer o quanto faziam diferença na minha vida, o quanto me faziam feliz. Será que eles sabiam? Não sei. Hoje eu os faço saber.
E creio que num mundo cada vez mais egoísta, individualista e carente de coisas boas, abrir-se para o outro não é só importante, mas essencial.
E quem se assusta, que não gosta disso.. que posso fazer? Pena de quem foge do amor. 
Eu o quero. Você quer?
Débora Mattos

"A medida de amar é amar sem medida!"
(Engenheiros do Hawaii)

8 comentários:

Angel Martins disse...

Olá, gostei muito do seu blog... Parabéns! Vou deixar meu end aqui, passa lá qnd puder. bjuss

http://angelmartinss.blogspot.com/

Bento Sales disse...

Dé, que ensaio maravilhoso e bem escrito!
Concordo com o texto: não basta somente amarmos, mas precisamos também demonstrar não só por meio de palavras, mas também de gestos.

"...É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã", já nos ensina essa música do Legião Urbana.

Parabéns pelo texto e pelo talento!

Abraços do amigo de sempre!

Lena disse...

Minha linda Dé

Estou com você e assino embaixo de tudo o que você escreveu. Esse lance de economizar amor, carinho e afeto não é comigo. Quando eu gosto (e essa é a única condição) eu falo bem alto! E vc é uma das minhas razões de não ser tímida ao ter que te dizer: "Eu te amo, doçura"!
Bjkas com carinho!

Alê disse...

Dé,

Que lindeza isso!

Ai, a gente quer mais é que aqueles que fazem a diferença estejam bem... Porque nosso bem estar também depende disso.

E quando alguma coisa foge um pouquinho do controle, ou conosco, ou com aqueles que nos cercam, precisamos encontrar força pra ser força,

Mas se olharmos com cuidado: a gente se descobre uma fonte enorme,


**Amo essa música do Engenheiros.


Um beijãooooOOOOOoo

Meire disse...

Dé, a verdade é que amor e carinho num foram feitos para serem guardados num é mesmo??? E a gente tem tanto dentro de nós que derrama naqueles que tanto amamos!!! o dilícia né?!!!!

bjokitas querida ;)

JÔZE PAIVA disse...

Amor existe para ser sentido em grande quantidade. Economizar deixa a vida sem graça, sem riscos...
Bonito texto!

Ass
http://mulherdejaleco.blogspot.com

C. disse...

Penso que quando fogem, é porque simplesmente nao podem bancar o amor, ou porque o amor já foi preenchido. Aí esse é outro problema.

*Jéssica Marques* disse...

Lindo texto Dé!
parabéns linda!!
Amor não deve mesmo ser economizado!
Somos uma fonte inesgotável então para que guardar?
Esse texto contém lindos sentimentos!E demonstra que ai dentro desse coraçãozinho existem muitos sentimentos belos!!
Amei o texto!
super beijo!