Quem sou eu

Minha foto
"Aceitar-me plenamente? É uma violentação de minha vida. Cada mudança, cada projeto novo causa espanto: meu coração está espantado. É por isso que toda minha palavra tem um coração onde circula sangue" (Um sopro de vida - Clarice Lispector)

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

DEPOIS DA TEMPESTADE




Talvez ele não saiba que aquela dor que ele causou, calou os olhos dela violentamente por uns tempos. Isso não é crime, é carma: magoar alguém assim, dentro do melhor vestido, remover com lágrimas o rímel cuidadosamente passado, deixar tão descrente alguém que achava a vida mágica...

Talvez ele nem desconfie que quando ele disse eu vou embora e ela tudo bem, logo que se deram as costas, ela respirou fundo uma, duas, três vezes, colocou quatro gotas de floral de Bach embaixo da língua e se afundou na tristeza (...)

Talvez ele nunca saiba que ela mudou os móveis de lugar (...) Dormiu no chão, quis mudar de religião.. (...) Pensou em mudar de curso, de profissão, de cidade. Quis mudar de si, já que seu corpo era a casa de um só sentimento. Fez uma viagem, não quis conhecer ninguém, posou de antipática porque estava apática. Se escondeu da lua cheia, fez do seu quarto um campo de concentração e depois se mudou para sala. Trancou todas as portas pra não entrar qualquer ilusão. Por tanto tempo era ela e sua tristeza intransitiva.

O que ele também não sabe porque nem ela sabia, é que um dia ela acordaria assim, vazia daquele amor. A dor exaustiva de cabeceira havia cessado, deixada no fundo do poço. Parou de se alimentar daquela porção individual de desilusão e enterrou o passado num túmulo desconhecido, para que não houvesse a menor possibilidade de revisitá-lo.

(Ele quase soube disto quando pensou que ainda estava recente para ensaiar uma recaída, um flashback. Mas para ela, que só soube na hora do reencontro tão almejado, já era tarde.)

Havia criado um mantra: No momento em que me dei inteira, ele me deu as costas. Isso não pode continuar supervalorizando uma saudade. Ser uma mulher curada de um amor, dependendo das circunstâncias, pode ser melhor que ser uma mulher amada... por ele.

E o seu melhor vestido pedia uma nova chance e um rímel à prova dágua.

[Marla de Queiroz]

11 comentários:

Tânia Camargo disse...

É Dé...
Tem coisas que parecem ter sido escritas para nós. Sobre nós!
A Marla realmente tem o dom da palavra e soube descrever lindamente o instinto natural de fuga do ser humano quando ferido...
Só quem nunca amou é que nunca "mudou os móveis de lugar, quis mudar de cidade, de país, de corpo!

Maravilhosa postagem minha girassol!

Bjs, nesse coração lindooooo!

Kelly disse...

Era disso que eu precisava Dé.
Palavras soltas e verdadeiras como estas. Me emocionei em ler cada trechinho deste texto. Marla é maravilhosa.
E você com este post me levou longe. Voltou com tudo minha linda.
Beijos!!

Rô... disse...

oi Dé,

que bom que voltou,
e voltou com tudo,
Marla é perfeita e disse tudo,
qual mulher não teve vontade de sumir,
de se esconder no quarto em silêncio profundo,
querendo fugir dos próprios sentimentos?
lindo,

beijinhos

Emanuelle Klyss disse...

Meniina, há uns dias eu escrevi um texto bem parecido com este. Eu ainda não tinha lido este texto da Marla, mas ela me resumiu em praticamente todas as palavras. Não existe coisa melhor do que ter certeza que se superou um amor né?

Beijoos flôr. ;**

QUIM disse...

Marla escreve coisas maravilhosas que me emocionam..obrigado querida..espero que estejas bem e tranqula..super beijo te adoro..

Ana Andreolli disse...

arrepiei inteira....
me senti bm assim dps q meu ex noivo me deixou

Alê disse...

Esse texto fala tanto de mim

Do passado,



e dá forças pro agora,



Dé, bjkas

CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

Bom dia querida amiga Dé.

Estivemos juntos por mais um ano, para minha alegria, no blog, no facebook, no orkut, no e-mail, não importa, eu agradeço.

Há de ser o Natal um grande momento de paz. Há de ser o Ano Novo um tempo de amor.

Que a paz, o amor e a harmonia permaneçam em seus corações e seus lares.

Quando em minhas preces, agradeço por vocês existirem na minha vida, enxergo minha pessoa, tão frágil, tão “comum”, tão indignada com as coisas do mundo e me pergunto,como cheguei a vocês?

Sem planejar, até mesmo sem perceber, aumentou minha família.

Escuto um eco enorme à minha pequena voz... vocês apareceram na minha telinha, tão natural, tão espontâneo!

Chego a pensar que sempre foi assim. É assim!!!

Percebo ainda, que falamos em

Anas, Josés, Cecílias, Beths, Carminhas, Marias essa e aquela, Edisons, Eloys, Fátimas, Veras e tantos outros, como pessoas de minha maior convivência, na mesa do jantar, ou mesmo almoço.

Quero desejar agora;

Da minha família para a sua família, um FELIZ NATAL.

FELIZ ANO NOVO.

Que a paz do Natal se multiplique no ano que se inicia.

Obrigada por fazerem parte da minha vida.

DEUS os abençoe.

FIQUEM COM DEUS.

Valéria disse...

Ano novo,vida nova. Tempo de avaliar o que passou, para repetir os acertos e corrigir os erros, para perdoar e esquecer tudo que nos magou. É hora de recomeçar, é tempo de parar e refletir. Olhe para o mundo e veja o que existe de bom. Desejo a você um feliz natal e um prospero ano novo, que 2012 traga muita paz, saúde e principalmente amor,são os mais sinceros votos do blog Doce Menina.

Srª หคтнყ disse...

Simplesmente encantador esse texto.
Essa ultima frase fechou o post com classes.

Um Beiijo

Sandra Mitsue disse...

Oi Dé...
♥ Vim desejar um Ótimo Natal, cheio de alegrias, harmonia e tudo que a nossa caixinha de sonhos nos faz acreditar.Que esse novo ano que se aproxima seja uma porta aberta para novos sonhos, renovações de fé e muita paz para o nosso mundo.
Que você tenha um

" Feliz Natal e um maravilhoso Ano Novo "
Beijos!
San.... ♥