Quem sou eu

Minha foto
"Aceitar-me plenamente? É uma violentação de minha vida. Cada mudança, cada projeto novo causa espanto: meu coração está espantado. É por isso que toda minha palavra tem um coração onde circula sangue" (Um sopro de vida - Clarice Lispector)

terça-feira, 21 de junho de 2011

"E fico sempre mais forte, mesmo sentindo saudade."
(Caio F. Abreu)


"Essa vida viu, Zé. Pode ser boa que é uma coisa. Já chorei muito, já doeu muito esse coração. Mas agora tô, ó, tá vendo? De pedra. Uma tora. Um macho. (...) Sabe Zé, no começo doeu não sentir nada. Mas eu consegui. Eu não sinto nada. Nada. Nem pena do mundo eu consigo mais sentir. Minha pureza era linda, Zé, mas ninguém entendia ela, ninguém acolhia ela. Todo mundo só abusava dela. Agora ninguém mais abusa da minha alma pelo simples fato de que eu não tenho mais alma nenhuma. Já era, Zé. É isso que chamam de ser esperto? Nossa, então eu sou uma ninja. 
Bate aqui no meu peito, Zé!? Sentiu o barulho de granito?"
(Tati Bernardi)

5 comentários:

Alê disse...

Eu repito pra mim mesma: nada como um dia após o outro... E assim, estou cada dia mais forte, mais leve, mais feliz!

Bento Sales disse...

Dé, corações de pedra hoje são os mais comuns entre nós. Uns já nascem assim, outros são obrigados a sê-lo.

A propósito, essa imagem é pertinente e magnífica e já diz tudo.

Abraços!

Dé Mattos disse...

Não que o coração seja de pedra no sentido de insensível. Dói muito ainda aí, sagra demais. Mas com menos frequencia, e com menos intensidade tb.
A gente aprende a ser forte diante dos tapas que a vida dá!

Claire disse...

Ohh,Dé,quem nunca sofreu,ne?!Dói sim,dói demais.Não que um dia essa dor vá acabar,mas sim voc vai saber como lidar com ela.No inicio dá medo.Medo de ama novamente,de se entregar.É um trauma,precisa de muita terapia e calma.O amor,tem mesmo esses dois lados,as vezes penso nele,como um sentimento ingrato.Talvez ele seja sim!Mas é impossivel viver,sem amar.Sei que pesa,dói,sangra e qualquer pancada lateja,mas tenha certeza,não que passe,mas voce se acostuma..quase que esquece.Demora,mas acontece.
Um grande beijo minha amiga!

Sam. disse...

Déinha...endurecer só se for a amardura que nos faz fortes! nunca o coração que nos faz humanos!

uma vida sem amor é uma vida vazia, o coração pra permanecer sadio tem que ter por que e por quem bater...

os tropeços, os tapas, os socos que a vida dá faz parte, amadure a alma!

Um beijo amadinha de Sam!