Quem sou eu

Minha foto
"Aceitar-me plenamente? É uma violentação de minha vida. Cada mudança, cada projeto novo causa espanto: meu coração está espantado. É por isso que toda minha palavra tem um coração onde circula sangue" (Um sopro de vida - Clarice Lispector)

quarta-feira, 13 de julho de 2011


Mesmo com o nada feito, com a sala escura
      Com um nó no peito, com a cara dura
                Não tem mais jeito, a gente não tem cura
                             Mesmo com o todavia, com todo dia
                                         Com todo ia, todo não ia
                                                       A gente vai levando, a gente vai levando,
                                                                     a gente vai levando...

(Chico Buarque e Caetano)

7 comentários:

Rosane - Mãe da Princesinha Anne Caroline disse...

bah esse é a minha situação...mesmo com todo ia e o todo q ñ ia...hgahaha...mesmo na cara dura... a gente vai levando..vai levandooo..vai levando..Até qndo?
Até sessarem as possibilidades!
bjo no core!

Alê disse...

E levando de um jeito ou de outro a gente vai,
'Porque a fé de dentro é maior que ventos contrários' - já disse Caio


Força e fé sempre!!!


Bjossssssss

Lena disse...

Dé,
Muito lindos esses versos do Chico Buarque. E nessa vida a gente tem que ir levando mesmo. Bjkas minha linda, saudades sempre!

Daniela disse...

é a vida ,e assim vamos levando a vida sem saber o que nos espera ali na frente ...mas sempre em frente !

Beijos Dé :)

Dri disse...

..e a gente vai.. levando.. (muitas vezes empurrando).

Beijo

Kelly disse...

...A gente vai levando, a gente vai levando...Lindo Dé!

...E sempre vamos continuar levando seja qual for a situação, porque o que importa é se temos pessoas verdadeiras conosco.

Ontem sua visita me fez um bem enorme, precisava de umas palavras amigas. Agradeço o carinho e as doces palavras que enfeitam meus recadinhos e os meus dias.
Obrigada, é um prazer imenso ter você como amiga!
Beijos e fica com Deus !!

C. disse...

Tem que levar né, fazer o quê. E de preferência rindo da gente mesma, ou de qualquer coisa.