Quem sou eu

Minha foto
"Aceitar-me plenamente? É uma violentação de minha vida. Cada mudança, cada projeto novo causa espanto: meu coração está espantado. É por isso que toda minha palavra tem um coração onde circula sangue" (Um sopro de vida - Clarice Lispector)

sexta-feira, 17 de junho de 2011


"Quando nasci um anjo esbelto,desses que tocam trombeta, anunciou: vai carregar bandeiraCargo muito pesado pra mulher, esta espécie ainda envergonhada. Aceito os subterfúgios que me cabem, sem precisar mentir. Não sou tão feia que não possa casar, acho o Rio de Janeiro uma beleza e ora sim, ora não, creio em parto sem dor. Mas o que sinto escrevo. Cumpro a sina. Inauguro linhagens, fundo reinos- dor não é amargura. Minha tristeza não tem pedigree,já a minha vontade da alegria, sua raiz vai ao meu mil avô. (...)

 Mulher é desdobrável.

Eu sou."


(Adélia Prado)

8 comentários:

Elisabete Lira disse...

Seu blog é muito interessante, estou te seguindo...

Tenha um lindo Dia!!!!


Siga meus blogs:http://cartasdeumcoracao.blogspot.com/

e

http://deusemminhaalma.blogspot.com/

Meire disse...

Ameiiiiiiiiiiii o post!!! que tudoooooooo!!! Adélia Prado é 10 ;)
bjokitas pra ti!

Alê disse...

Somos mais que desdobráveis

Ju Fuzetto disse...

Eu adoro Adélia Prado!!!

Seu blog é fofo demais. beijo

Bento Sales disse...

Dé, o homem demorou muito descobrir que a mulher é superior a ele na alegria, na felicidade e, sobretudo, no amor.
Gosto muito do pensamento feminino, pois não é previsível.

Òtimo poema!

Abraços!

Patrícia ♥ disse...

Que lindo o seu cantinhoo..
adorei aqui!!

estou seguindo..
retribui??

beijos
http://pathyoliver.blogspot.com
http://momentosdapathy.blogspot.com

Dri disse...

Meu Deus!!
Teu blog ta bombando de tanta coisa boa!!

Lindo poema.

Beijos

Sam. disse...

desdobrável e admirável era(é) Adélia Prado!

esse texto é um dos meus preferidos!