Quem sou eu

Minha foto
"Aceitar-me plenamente? É uma violentação de minha vida. Cada mudança, cada projeto novo causa espanto: meu coração está espantado. É por isso que toda minha palavra tem um coração onde circula sangue" (Um sopro de vida - Clarice Lispector)

sábado, 1 de outubro de 2011

Breve introdução ao ciclo seco [Fragmentos]



Todo mundo conhece ciclo seco, a maioria até já passou por ele. Alguns mesmo vivem desde sempre dentro dele, achando que isso é vida e eternizando o que, por ser ciclo, deveria também ser transitório. É preciso acreditar que passa, embora quando dentro dele seja difícil e quase impossível acreditar não só nisso, mas em qualquer outra coisa. Não que ciclo seco não tenha fé, o que acontece é que não podendo ver o que não é visível, fica limitado ao real.
(...)
Ciclo seco não desaba de repente sobre alguém; chega aos poucos, insidioso, lento. Quando se percebe que se instalou, geralmente é tarde demais.
(...)
Porque o real do ciclo seco são ações, não pensamentos nem imaginações. Tanto que, visto de fora, não é visível nem identificável. Não se confunde com “depressão”, quando você deixa de fazer o que devia, ou com “euforia”, quando você faz em excesso o que não devia. Em ciclo seco faz-se exatamente o que se deve ou não, desde escovar os dentes de manhã ou beber um uísque à tardinha, mas sem prazer. Nem desprazer: em ciclo seco apenas se age, sem adjetivos. 
(...)
E sendo assim, com alívio vou quase concluindo, pode se deduzir que… Não, não se pode deduzir nada.   Só que passa, por ser ciclo, e por ser da natureza dos ciclos passar. Até lá, recomenda-se fazer modestamente o que se tem a fazer com o máximo de disciplina e ordem, sem querer novidades. Chatíssimo bem sei. Mas ciclo seco é assim mesmo.
Todo mundo tem os seus, é preciso paciência. E contemplá-lo distante como se se estivesse fora dele, e fazer de conta que não está ali para que, despeitado, vá-se logo embora e nos deixe em paz? Eu, francamente não sei. Ainda mais francamente, nem sequer sinto muito.

[Caio Fernando Abreu in Pequenas Epifanias]

12 comentários:

QUIM disse...

Já passei o meu e sobrevivi...bj querida saudade ..te cuida..

Alê disse...

Estou vivendo isso...

Déh, lindeza esse texto do Caio,

Eu nunca canso de ler esse livro,



Bjkassssssssss

Severa Cabral(escritora) disse...

Muito lindo seu post do dia de hj com Caio...
Bom domingo prá ti...
bjssssssssssssssss

Karla rosalia disse...

muito lindo o vestido da imagem super amei flor ;]
tenha um ótimo domingo para você ;$
Beijos!

Rô... disse...

oi Dé,

Caio é um sábio
dos sentimentos,
ciclos existem pra todos nós...
eu vivi o meu,
e passou!

beijinhos

Bento Sales disse...

Oi, Dé!
Então devemos sempre cultivar para que tenhamos um ciclos mais fartos e benéficos.

Parabéns pela escolha!

Abraços do amigo de sempre!

Paulinha Leite disse...

A vida é um eterno ciclo... ciclo de mudancas, de aprendizagem, de etapas vencidas... ciclos que a gente gostaria de pular... de nem viver.
Um grande beijinho

AquilesMarchel disse...

preciso aceitar isso



darei um tempo do blog
bjus

Tânia Camargo disse...

Dé minha lindinha...

Infelizmente a vida tem esses ciclos sim! Mas acredito, que se soubermos observá-los, saímos mais enriquecidos deles...
Não existe lição mais marcante do que aquelas que aprendemos através de nossas dores e decepções... Mas elas passam minha amiga!
E a vida é feita de ciclos lindos tbm e é por esses que devemos viver!
Se cuide.. Por mim... Por ti... Pr nós!Rsrsrs...

TE ADOROOO D+

Bjs em seu coração,

JAN disse...

OI DÉ,
TUDO PASSA... E DEPOIS, PRECISAMOS RECOMEÇAR.

"BÓRA" RECOMEÇAR!!

ABRAÇÃO

JAN

Duda Duarte disse...

Ola Dé, quanta saudade de seu espaço.
Não desisti do meu não... Os tempos estavam corridos, mas estou lá.

Quanto a essa postagem, tenho horror à ciclo seco. Pena que algumas vezes nos pegamos lá, na mesma rotina e chatice de sempre.
Que passem, sempre!
Caio, sempre belo, ainda que triste em alguns momentos.
Estou ficandi intima dele, graças a você que me apresentou. rs
Me deixe um recado, quero saber de você.

Abração bem apertado.

Ana Andreolli disse...

ai caio, tão lindo